Alimentação durante a amamentação

Saber o que comer e o que não comer durante a amamentção é importante para o bebê e para a mãe. Nem sempre compreendemos que tudo o que a mãe ingere é transmitido para o bebê através do leite materno. Por isso vejam as dicas da Nutricionista Mariana Duro, membro da Clínica VIla VIta.

ns_fev15

A perda rápida de peso durante a amamentação pode representar um risco ao bebê, pois pode levar a liberação de toxinas, normalmente armazenadas na gordura, para a corrente sanguínea, elevando a quantidade dessas substâncias no leite.

É importante lembrar que a produção de leite será maior se a frequência da própria amamentação for maior. A qualidade da alimentação da mãe influencia a qualidade do leite. Estimular a amamentação e ter os cuidados com a alimentação fará com que a mãe dê ao filho o principal e melhor alimento nos primeiros meses de vida.

A amamentação por si só já ajuda a queimar a gordura da gravidez, por usá-la na produção do leite. Para a produção de 100 mL de leite, que apresenta aproximadamente 65 calorias, a lactante gasta em média 85 calorias.

Priorize:
  • Frutas, sucos legumes e verduras: pois apresentam vitaminas e minerais que deixarão o leite repleto de vitaminas e minerais;
  • Água: o líquido ajudará o corpo na produção de uma quantidade de leite necessária para o bebê. Como a maioria das mães costuma sentir muita sede ao amamentar, é sempre bom já ter à mão um copo de água ao se preparar para dar a mamada;
  • Proteínas de boa qualidade na alimentação: carne bovina, peixe, frango e ovos, para que a massa magra seja mantida;

Mito-6

  • Alimentação fracionada (no mínimo 5 refeições por dia): para que haja uma variedade alimentar durante o dia, garantindo que os nutrientes não fiquem concentrados em poucas refeições;
  • Alimentos integrais: além de apresentarem maior quantidade de nutrientes (vitaminas e minerais), que deixarão o leite mais nutritivo, possuem fibras que auxiliarão na diminuição do índice glicêmico (açúcar) das refeições, evitando que sinta fome muito rápido ao metabolizar uma refeição;
Evite:
  • Cafeína: a ingestão de cafeína pela mãe faz com que o leite materno também apresente essa substância, pois esta pode passar da corrente sanguínea para o leite. A cafeína faz com que o bebê fique sem sono e/ou irritado. Assim, a melhor opção é restringir alimentos que contenham cafeína ou optar pelos alimentos descafeinados.

Alimentos que contém cafeína são café, chás mate, verde e branco, chocolates (cacau) e refrigerantes a base de cola, por exemplo.

  • Bebidas alcoólicas: podem comprometer a produção de leite materno, além de passar para o bebê através do leite. Durante a amamentação, a orientação é excluir as bebidas alcoólicas.
  • Alimentos ricos em enxofre: durante a amamentação muitas mulheres reclamam do desconforto causado por gases. Por isso, nesse período, a recomendação é evitar alimentos ricos em enxofre, pois estimulam a produção de gases também nos bebês. Evite feijões, brócolis, couve-flor, couve, couve de Bruxelas, rabanete, repolho e acelga.
  • Leite de vaca e seus derivados: a proteína do leite apresenta dificuldade de digestão no trato gastrointestinal da mãe, podendo ter acesso à corrente sanguínea e, conseqüentemente, ao leite materno, causando desconforto abdominal na criança.

Lembre-se sempre que temos nossas individualidades.

Essas orientações não são regras!

Varie os alimentos e fique atenta se algum alimento causa dores e desconforto no bebê. Caso ele sinta qualquer desconforto, verifique o alimento consumido e retire-o de sua alimentação por um período.

mariana duro

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *