Um dos piores dias da minha vida de mãe

Hoje vivi um dos piores dias da minha vida como mãe. Não foi o pior porque já passei por uma situação horrorosa (quem quiser ler clique aqui) mas foi tenso! Quem me acompanha no snap chat sabe do que se trata, mas não sabe grandes detalhes,… então vamos lá:

Toda terça e quinta eu e meu marido deixamos o Théo juntos na escola (acho super importante o pai participar também desse momento), depois eu deixo meu marido no trabalho e vou para a academia (que é do lado). Essa logística acontece para que no fim da tarde meu marido possa treinar, enquanto estou com o Théo na natação.

A saída de casa nessa manhã foi meio acelerada, meu marido dá uma surtada matinal ao ver sinais de atraso. Eu como habitualmente, desci com o Théo para a garagem e ele foi jogar o lixo. Chegamos brincando de cavalinho até o carro. O Théo estava muito fofo nessa manhã, um verdadeiro poço de amor. Destravei o carro, coloquei na cadeirinha E …. (ATENÇÃO), para não machucá-lo ao fechar o cinto, joguei a chave no banco da frente. fechei o cinto e em seguida a porta do carro. (nãoooooooooooooooo)

12181773_10153813386181349_1656658412_n

Nesse momento meu mundo parou. O carro travou as portas automaticamente (somente para explicar, eu estava com o carro do meu pai e o meu não faz isso, também não tinha uma chave reserva – meu pai mora em sp e eu em Santos).

Eu, desesperada dei a volta tentando abrir todas as portas. Meu marido chegou e fez o mesmo …em vão. Enquanto fugia meu olhar do meu marido, tentava explicar para o Théo o que ele deveria fazer.

Em síntese o pequeno com 2 anos e 10 meses teria que

1- Destravar o cinto da cadeirinha (Senhor sempre oramos para que eles não descubram como fazer isso, mas naquele momento tudo o que eu queria era que o fizesse)

2- Ir até o banco da frente

3- Abrir a porta

12182258_10153813386431349_330741254_nMuitas tentativas em vão. Destravar o cinto da cadeira Matrix da Burigotto é realmente difícil (meus pais tem dificuldade, então imaginem). Eu fazia mímica, falava, e ele tentava, juro que ele tentou, mas não conseguiu. Voltamos a repetir a mímica mais de 30 vezes. Enquanto isso, meu marido, incrédulo pensava numa saída, bastante irritado. Sou reincidente em problemas com o carro (fui guinchada recentemente, tomei algumas multas por excesso de velocidade e agora essa !)… Adiciona aí que ele ia chegar tarde no trabalho, desembolsar uma nota para arrumar essa meleca e ainda tínhamos nosso filho preso lá dentro.

Saí rumo a portaria para conseguir um chaveiro. Foi rápido conseguir, mas ele demorou 20 min para chegar. Eu fiquei com o Théo e meu marido na portaria esperando o chaveiro. Ele se distraiu, mas começou a  sentir calor. Tentou tirar o agasalho e não conseguia porque estava preso à cadeira. Começou a se irritar, começamos a conversar. Eu tranquilizando ele, ele ficando cada vez mais nervoso e chorando. Foi quando coloquei no santo abençoado Youtube,  a Turma da Mônica amada no celular e mostrava pelo vidro.

11997191_10153813386521349_430308891_n

Santo remédio, mas os minutos pareciam hora. Liguei 3 vezes para o chaveiro, dei um quase chilique (ele havia dito que no máximo em 10 minutos estaria lá) e disse em letras garrafais SE VIRA< VOCÊ FALOU QUE EM NO MÁXIMO 10 MINUTOS ESTARIA AQUI, MEU FILHO ESTÁ DENTRO DO CARRO E EU TE AVISEI.

Algum tempo depois ele chegou. Forçou um pouco a porta, enfiou um arame com um gancho por dentro e destravou a porta. Eu não saí de perto do Théo e assim que ele destravou entrei para soltar o bichinho que queria muito fazer xixi.

Beijei, abracei, cheirei, apertei, respirei e voltamos à rotina matinal que havia começado às 6:45 am. Theozinho ficou por quase 1 hora no carro. Se estivéssemos no sol, no calor, se eu visse panico em seus olhos ou medo não teria tido coração para esperar ninguém, quebraríamos o vidro. Graças à Deus e aos anjos da guarda nada aconteceu, além do transtorno. Minha cabeça deus voltas passei por um momento de stress que não desejo para nenhuma mãe. Mil coisas passaram na minha mente, culpa, medo, sensação de impotência. Me senti relapsa, desatenta, dando margem à fatalidades que não podem acontecer quando temos crianças. A vida delas depende de nós e de nossos atos. Chorei baldes e baldes.

Depois de pegá-lo na escola fomos tomar sorvete porque eu senti que a vida pode ser mais curta do que a gente imagina que ela seja. A única coisa que eu realmente me orgulho desse dia, foi de ter visto a minha capacidade de manter a calma por fora, estando desesperada por dentro.

EXTRA – Durante aquele momento muitas pessoas circulavam pelo estacionamento, mas apenas 1 pessoa vendo a situação, parou para dar uma ajuda. Dois carros saíram do meu lado e os condutores e acompanhantes nem sequer se deram o trabalho de perguntar se eu precisava de algo. No momento isso passou totalmente desapercebido por mim, só me dei conta quando uma amiga perguntou se alguém havia parado para ajudar. Esse movimento é um simples retrato da realidade alienada e fria em que vivemos, pessoas que vivem na máquina do dia-dia, sem compaixão e amor ao próximo. Não precisa ser cristão para acreditar e pregar esses valores, basta ter tido educação.

14 Comments on Um dos piores dias da minha vida de mãe

  1. Juliana Ortiga
    10/29/2015 at 23:03 (4 anos ago)

    Nossa, meu Deus! Ainda bem que estão bem e deu tudo certo. Vocês foram fortes e conseguiram segurar a barra. Mas e seu marido como ficou, te falou algo?
    Mari já passei alguns perrengues aqui no condomínio e ninguém está nem aí mesmo! Um beijo a vocês!

    Responder
  2. Criss
    10/29/2015 at 23:29 (4 anos ago)

    Meu santo Deus….gelei lendo,sempre coloco a chave no banco tmb…nunca mais farei isso!!!

    Responder
  3. Carolina T. Assadurian S. Prado
    10/30/2015 at 01:48 (4 anos ago)

    Ufa ! Que sufoco! Mari uma amiga passou por isso em um carro blindadooooooo pensa no desespero N dava pra quebrar vidro nem nada, mas tinham a chave reserva a 40 min do local! Quw sufoco ainda bem que ele esta beemmm

    Responder
  4. Caroline Furtunato
    10/30/2015 at 02:04 (4 anos ago)

    Nossa, entendo muitooooo seu sentimento. Fiz o mesmo com minha bebê de 3 meses e logo que percebi o que tinha acontecido ela começou a chorar. Meu celular dentro do carro e sorte que passou alguem pra eu avisar meu marido. Eu estava no estacionamento da empresa dele. Ligamos pro seguro mas levaria 1 hora pra mandarem alguém. Moramos nos Estados Unidos e nos orientaram a ligar para os bombeiros. E deu certo, chegaram em 5 minutos, mas o processo todo levou uns 30. Minha filha dormiu de tanto chorar tadinha, e qdo abrimos o carro estava suando. Não desejo pra ngm este sentimento, a agonia de ver seu filho trancado la dentro e vc presa fora. Não gosto nem de pensar na vida dos pais que esquecem os filhos dentro do carro, é com ctz uma dor insuportável.

    Responder
  5. Fernanda De Alencar
    10/30/2015 at 10:48 (4 anos ago)

    Menina de Deus, que situação horrorosa!!! Só Deus mesmo pra te ajudar manter o controle, mas graças a Deus tudo deu certo e se resolveu e obrigada por compartilhar, vou prestar atenção por aqui. Bjssss

    Responder
  6. Carina Beck
    10/30/2015 at 11:26 (4 anos ago)

    Se vale de consolo isso e comum e nesses carros e eu conheço varias amigas que realmente quebraram o vidro no momento do despero…já passei por essa situação parecida mais ele se trancou no banheiro numa fração de segundos imagina oa perigos de uma banheiro que a banheira estava enchendo…coração de mãe sofree!!!

    Responder
  7. Elisabete Araujo Goulart
    10/30/2015 at 12:39 (4 anos ago)

    Graças à Deus tudo ficou bem. Não se culpe, você é uma excelente mãe. Meu francês ficou seguro e orgulhoso de você. Acho que do alto dos meus 30 anos de experiência como mãe, eu teria quebrado o vidro kkk. Bjs.

    Responder
  8. Evelyn Kelly
    10/30/2015 at 14:04 (4 anos ago)

    Diga: Sempre abaixe os vidros do carro antes de mais nada….faço isso pq a gente nunca sabe ne…q bom q deu td certo. Parabens pela calma e autocontrole.

    Responder
  9. Thais Conde Marcelo Galvão
    11/01/2015 at 18:12 (4 anos ago)

    Realmente e desesperador mas já fiquei incrédula também quando fui assaltada e ai pedir ajuda a pessoa pediu para eu sair da frente dela que ela queria passar com a bicicleta o mundo ta perverso

    Responder
  10. Vladia Pereira
    11/01/2015 at 18:38 (4 anos ago)

    Eu vivi isso há 5 anos.
    Minha filha tinha 8 meses, foi um desespero.
    Mas, eu não esperei nem 10 minutos e quebrei o vidro.
    Nossa que desespero.
    Graças a Deus nossos pequenos saíram bem dessa situação.

    Responder
  11. Deborah Bally
    11/01/2015 at 20:24 (4 anos ago)

    Era só quebrar o vidro! Se o carro estivesse sob um sol de quarenta graus vc com certeza não esperaria uma hora por um chaveiro! Eu teria quebrado na hora sem pensar duas vezes! A não ser que o vidro era blindado!

    Responder
  12. Carla Silva
    11/01/2015 at 20:47 (4 anos ago)

    Muito tenso mesmo… eu não teria pensado duas vezes não, quebraria o vidro na hora. Primeiramente vem a segurança do meu filho.

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *