Ingestão de cerveja escura não aumenta leite materno

cerveja-stout-size-620

Não é de hoje que muitas pessoas recomendam a ingestão de cerveja escura para aumentar a quantidade de leite em mulheres grávidas. Na verdade, esta antiga crença não passa de um mito.

Segundo o ginecologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Assumpto Laconelli Jr. “Qualquer bebida alcóolica é contraindicada a gestantes. A partir do momento em que a mulher descobre que está grávida, deve parar imediatamente seu consumo”, diz o médico.

Segundo o especialista, não há estudos que apontem a quantidade segura de álcool permitida na gestação sem causar danos, uma vez que cada mulher tem um metabolismo, peso, história nutricional e genética diferentes. “Por isso, o mais prudente é orientar para suspender o consumo deste tipo de bebida”, ressalta o ginecologista.

A ingestão de álcool durante a gestação pode afetar múltiplos órgãos e o desenvolvimento neurológico, causando a síndrome alcoólica fetal, que atinge 50 mil bebês por ano no Brasil, segundo a Organização Mundial da Saúde. Os efeitos da síndrome decorrem da interferência na formação cerebral, em especial na proliferação normal e migração dos neurônios que não se desenvolvem completamente em certas estruturas e podem acarretar alterações congênitas, anomalias do sistema nervoso central, retardo no crescimento, baixo peso, parto prematuro, prejuízos no desenvolvimento cognitivo, deficiências físicas, motoras e comportamentais, e até levar ao aborto. Entretanto, a ciência ainda desconhece o motivo pelo qual nem todos os bebês de mães que consumiram álcool no período gestacional desenvolvem seus efeitos.

Nas gestantes, os efeitos nocivos do álcool podem também trazer consequências graves, causando desnutrição, alterações comportamentais, anemia, cirrose, alterações da coagulação sanguínea, anemia, entre outros. “E quanto maior o consumo, piores são as consequências”, ressalta o ginecologista.

O álcool também deve ser evitado durante a amamentação. “A lactante pode beber moderadamente, tomando algumas precauções como tirar e armazenar leite antes de beber, mas, mesmo assim, não indicamos o consumo”, finaliza Iaconelli.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *